Sábado, 10 Outubro 2015 00:00

Comissão para Laicato promove Seminário em Brasília

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

A Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizou, entre os dias 6 e 8 de outubro, no Centro Cultural Missionário (CCM), Brasília (DF), o 8º Seminário com os bispos referenciais dos regionais e representantes de novas comunidades, associações e movimentos de leigos de todo o Brasil.

Na pauta da reunião, estava o texto de Estudos 107A “Cristão leigos e leigas na Igreja e na sociedade – sal da terra e luz do mundo”, que teve seu conteúdo avaliado com propostas de elementos que podem ser acrescentados. 

Na ocasião, os membros da Comissão fizeram o planejamento das atividades para os próximos quatro anos. No evento, os representantes de movimentos, associações e novas comunidades, do Curso de Formação Política do Centro de Fé e Política Dom Helder Câmara (Cefep) e das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) falaram sobre suas respectivas realidades. “Nós percebemos que há um interesse muito grande de despertar o laicato no Brasil, a participação, a sua missão de fato de ser transformador na sociedade, uma presença mais ativa na Igreja e na sociedade”, comenta o bispo de Caçador e presidente da Comissão para o Laicato da CNBB, dom Severino Clasen.

Sobre o papel dos bispos e o apoio ao serviço dos leigos, dom Severino aponta os prelados como agentes de animação. “Os bispos devem ser incentivadores, animadores. Eles precisam fazer que com a luz possa de fato brilhar, e os leigos precisam também caminhar, eles não podem ficar apenas nas dependências e por isso o papel fundamental dos bispos é de animação”, afirma.

Dom Severino também destaca as várias iniciativas que foram compartilhadas durante o Seminário. “Foi muito bonito [ouvir] a experiência de como os leigos estão atuando de fato comprometidos na transformação da sociedade, não só da Igreja, mas muitas vezes ficamos muito para parte interna, muito para dentro da Igreja e nós somos uma presença responsável na transformação da sociedade”, ressalta.

Lido 13090 vezes