A Renovação Carismática Católica surgiu na Igreja de hoje como renovação da graça de Pentecostes. A RCC é um movimento suscitado pelo Espírito Santo como caminho de renovação da Igreja.

Ao convocar o Concílio Vaticano II, o Papa João XXIII pedia ao Senhor que renovasse em nossos dias as maravilhas de então como “um novo Pentecostes”. Nas palavras do Cardeal Suenens a RCC é uma segunda graça de Deus à Igreja e ao mundo, depois da primeira graça que foi o Concílio Vaticano II.

Em 1967, alguns professores e alunos da Universidade do Espírito Santo de Duquesne, em Pittsburg, na Pensilvânia (Estados Unidos da América do Norte), reuniam-se frequentemente para partilhar as suas experiências de fé. Todos reconheciam, porém, certo vazio no fundo de si mesmos, falta de dinamismo e uma clara tibieza nas suas orações e atividades apostólicas.

Conscientes de que a força da primitiva comunidade cristã teve origem na vinda do Paráclito, começaram a pedir insistentemente ao Espírito Santo que manifestasse neles a sua presença cheia de poder.

Diariamente rezavam o “Vinde Espírito Santo” por todos os membros do grupo. Entretanto, alguns estudantes tinham lido o livro “A cruz e o punhal” em que um pastor pentecostal americano relata como, na sequência de sua ação no meio dos jovens drogados de Nova York, o Espírito Santo operava numerosas conversões.

Decidiram, então, de 17 a 19 de fevereiro de 1967, realizar um retiro conjuntamente com o Capelão da Universidade. Todo o sábado foi passado em oração e estudo, nomeadamente do Livro dos Atos dos Apóstolos.

Continuaram pela noite afora implorando a efusão do Espírito Santo e tiveram a certeza de que sua oração fora ouvida pela transformação interior e pela alegria espiritual que sentiram. Nascia então, a Renovação Carismática Católica.

Esta experiência foi partilhada com amigos da universidade de Notre Dame, em Indiana, também nos Estados Unidos. Cerca de 30 pessoas pediram que rezassem também por eles. Tornaram-se homens novos e mulheres novas. Graças a Força permanente do Espírito Santo essa chama se propagou pelo mundo e tocou a vida de mais de 120 milhões de pessoas.

 

NO ESTADO DO PARÁ, NORTE DO BRASIL, SANTARÉM É O BERÇO DA RCC

 

Em Santarém, a Renovação Carismática chega em 23 de janeiro de 1973, por meio de Frades Franciscanos (Frei João e Frei Paulo), sendo acolhida por Dom Tiago Ryan e vários Frades da então Prelazia de Santarém reunidos na casa de retiros Emaús. O pregador daquela primeira experiência de oração em solo amazônico foi o Pe. Jorge Kosick.

Logo a RCC se espalhou por toda a cidade de Santarém, em especial, pela região de planalto, onde várias comunidades rurais foram evangelizadas a partir dos Seminários de Vida no Espírito e Experiências de Oração. Irmão Norberto, Irmão Tomé, Irmão Haroldo, Professora Francisca Carvalho, David Lima e muitos outros foram os pioneiros e primeiros animadores da vida carismática em nossa cidade e diocese.

Muitos grupos de oração e as primeiras comunidades de aliança e evangelizadoras brotaram dessas experiências e dos encontros, congressos e as festas de Pentecostes realizadas sempre na Igreja de São Sebastião que, sob a animação de Frei João e Frei Tomás, constituiu-se como um grande centro católico pentecostal. A Comunidade de Aliança Alegria no Senhor e logo depois as pequenas Comunidades Evangelizadoras no Espírito Santo – EVES, como Anuncia-me, Jesus é Nossa Vida, Deus Vivo, Caminheiros de Cristo, dentre outras foram se organizando em outras paróquias e comunidades para além de São Sebastião que reunião centenas de pessoas mensalmente nos chamados 4º Domingos de Louvor – Assembleia de Oração aberta a todo o povo.

Foi na mesma Paróquia de São Sebastião, especificamente nas dependências do Colégio do Amando, que surgiu o primeiro grupo de jovens da RCC, o Fanuel, que fomentou grande evangelização da juventude católica, realizando as primeiras vigílias de Carnaval na Igreja de São Sebastião, com nomes como Eder Coelho, Evangelista, Sara Franco, Mônica Godinho, Joaquim, Jerônimo, Alderico, Ildemar Portela, Antonia Torres, Auricélio Paulino, Armistrong Feitosa, dentre outros que idealizaram e animaram os primeiros Cristovais, retiros internos de carnaval no Centro de Formação Emaús, vindo depois pra cidade revolucionando a maneira de evangelizar as massas nesse período.

Adultos e jovens foram se organizando com a criação da Equipe Diocesana, Equipes Jovens e demais ministérios que deram e dão sustentação a grupos e comunidades que foram constituindo sob orientação dos pastores da Igreja particular de Santarém as Equipes Paroquiais e outros serviços como evangelização nas praças, pelo rádio, televisão e outros meios.

Há mais de 40 anos a RCC tem prestado um serviço de inserção pastoral em Santarém e em todo o Estado do Pará, estando organizada a partir do Conselho Diocesano que se faz representar no Conselho Estadual do movimento, contribuindo assim para a Evangelização, a partir da Cultura de Pentecostes, no Pará, na Amazônia, no Brasil e em todo o mundo, inserindo-se na pastoral de conjunto, Cebs e mesmo outros movimentos. Nomes como Maria Linhares, Adalgiza Freire, Dona Isô, Lucineide Pinheiro, Nilton Valério, Cléo Neves, Tony Sá, Rosangela Sena, Glauber Sena, Everaldo Cordeiro, Alípio Gomes, dentro outros, são testemunhos de liderança e engajamento na Igreja de Santarém ao longo dos últimos 40 anos de caminhada em um processo de perseverança e continuidade.